28 ago 2018

WhatsApp: como ler e responder mensagens de forma invisível sem ficar offline

O Flychat é um aplicativo para Android que elimina um dos grandes incômodos do WhatsApp? a exibição do status online e de “digitando”. Disponível gratuitamente, o programa cria uma versão flutuante das conversas do aplicativo bastante similar ao que acontece no Facebook Messenger. Ou seja, além de poder responder sobre outros aplicativos, o usuário não fica online no WhatsApp.

Além do aplicativo preferido dos brasileiros, o Flychat suporta outros programas populares como Messenger, Telegram e o Android Mensagens. Além disso, ao contrário do outro método de ficar invisível no WhatsApp, o software não exige que o celular seja colocado em modo avião. Confira a seguir como configurar e usar o app.

Fonte: Olhar digital
Compartilhar
09 fev 2018

6 dicas para navegar com mais segurança na internet

Via Gizmodo Brasil.

Dia 5 de fevereiro é o Dia Internacional da Internet Segura, e mais uma vez o Brasil participa da ação da Safernet que quer ajudar a conscientizar pessoas pelo mundo inteiro das melhores formas de se usar a web sem colocar sua segurança em risco.

E os riscos são muitos, como sempre lembram empresas de segurança. A Symantec diz que 1,5 milhão de pessoas sofrem crimes virtuais a cada dia, e, de cada 10 e-mails enviados, sete são spam. A Kaspersky diz que são detectadas 200 mil amostras de malwares diariamente, e mais de 500 sites são comprometidos todo dia. Ou seja, as ameaças estão em todos os cantos e aumentam a cada minuto.

Não podemos acabar com as ameaças, mas podemos adotar algumas práticas que ajudem a diminuir os riscos. Além de ter um antivírus sempre atualizado no computador, é bom seguir alguns desses passos para evitar que sua máquina seja contaminada por algum vírus, que suas senhas sejam expostas, sua conta do banco seja invadida e que alguém consiga postar besteiras no seu Facebook:

1. Cuidado com links em e-mails e mensagens

Se você não sabe quem foi que enviou a mensagem, evitar clicar em qualquer link, caso tenha algum. Isso serve tanto para mensagens instantâneas (Google Talk, Facebook, MSN, Skype ou o que for) quanto e-mails – aliás, especialmente para e-mails. Os serviços atualmente contam com ótimos filtros de spam, mas pode ser que alguma coisa passe batido. Na minha caixa de spam do Gmail aparece frequentemente mensagens enviadas pela Angelina Jolie, Jennifer Aniston, Kate Perry, Kim Kadarshian, entre outras. É óbvio que nenhum desses e-mails foram realmente enviados por alguma delas, mas aparentemente este golpe de se passar por outra pessoa dá muito certo, tanto que spammers insistem em usá-los. Sempre desconfie de mensagens enviadas por remetentes desconhecidos. Nunca clique em nada nesses e-mails –um único clique pode comprometer o seu computador.

Também tome cuidado com mensagens enviadas com supostos vídeos relacionados a grandes acontecimentos que tomaram conta dos noticiários. Um exemplo recente é a tragédia em Santa Maria, no Rio Grande do Sul. Dias após o incêndio, e-mails eram enviados com supostas imagens de dentro da boate Kiss – na verdade era tudo um golpe para roubar senhas e informações bancárias do usuário.

2. Muito cuidado nas redes sociais

O Facebook tem mais de 1 bilhão de usuários, e isso significa mais de 1 bilhão de pessoas que podem cair em golpes. As redes sociais estão longe de serem seguras. Tome cuidado na hora de autorizar apps: eles podem colher dados sem a sua autorização, além de também incomodarem seus amigos com solicitação para que eles usem e também caiam na armadilha. Temos um caso recente de um app no Facebook que se disfarçava de WhatsApp e disparava solicitações para todos os amigos.

A questão da privacidade também é importantíssima. As redes sociais ajudam a compartilhar momentos da sua vida com quem você quiser – e, se você quiser fazer isso só com seus conhecidos, tem como fazer. O Facebook mudou recentemente as configurações de privacidade e elas estão mais simples. Assim, você pode enviar suas fotos mais constrangedoras sem que elas fiquem disponíveis para a internet inteira.

3. Senhas

Não vou aqui sugerir que você use uma senha com letras maiúsculas, minúsculas, símbolos, números e o que for. Cuidar da senha vai muito além de simplesmente criar uma sequência difícil de ser decifrada. Um site falso pode roubar a sua senha por mais complicada que ela seja. Quando seu password for exigido, tenha certeza de que o site é o confiável. Se não tiver certeza, verifique se ele está criptografado com certificado SSL – neste caso, há um símbolo de cadeado, uma barra de endereço verde ou o endereço começa com”https”.

4. Cuidado com downloads

Se você tem o costume de baixar torrents, já sabe que há risco dos arquivos estarem infectados com malwares. Se você baixa de sites na internet, também corre o risco de ser infectado. Por isso, é bom tomar muito cuidado na hora do download. Alguns sites disfarçam um link maldoso com um DOWNLOAD NOW!!!! enorme, enquanto o link real para o arquivo está escondido em letras menores. Outros pedem para você instalar um software para gerenciar o download – desconfie sempre disso, são grandes a chances de ser cilada. Também evite instalar barra de ferramentas. Elas têm pouco a adicionar à sua navegação e costumam vir cheias de malwares ou apenas mudar as configurações do seu navegador – não é mesmo, Ask.com?

5. Mantenha softwares sempre atualizados

Isso não serve apenas para o antivírus. É fundamental que tudo esteja atualizado. Por mais que a mulher do avast! informando que “As definições de vírus foram atualizadas” seja um pouco chato, é importante que elas realmente sejam atualizadas. Além disso, deixar o navegador na versão mais recente – seja o Chrome, Safari, Opera, Firefox ou Internet Explorer – diminui os riscos de navegar na web – afinal, as atualizações normalmente corrigem também falhas de versões anteriores que podem ser exploradas por alguém mal intencionado. Atualizar o Flash Player, o leitor de PDF e até o Java (lembrando-se sempre de desmarcar a opção do Ask.com). Também atualize o seu sistema operacional – ative o Windows Update, pegue a versão mais recente do Mac que você usa ou o que for. As atualizações não apenas incluem novos recursos como também corrigem falhas anteriores, e elas são muito mais importantes para a correção do que para as novidades.

6. Oriente as crianças

Vamos ser sinceros: ninguém vai ficar olhando tudo o que uma criança faz na web o tempo inteiro. Se você tem filho, irmão mais novo, primo, sobrinho ou qualquer coisa que já entre na internet, é importante orientá-lo para que ele não caia em golpes.

As dicas do post foram fornecidas pela Symantec, Kaspersky, pelo CERT.BR e por outras informações que juntei pela web.

A internet não é totalmente segura, mas isso não significa que você tenha que ter medo de usá-la. Muito pelo contrário: seguindo esses passos e usando o bom senso, é possível navegar tranquilamente sem correr grandes riscos.

Compartilhar
02 out 2017

Link dedicado e internet banda larga: entenda as diferenças

Com certeza você já ouviu falar em internet banda larga, não é? Mas e em link dedicado, já ouviu falar? Pouca gente sabe do que se trata essa tecnologia. Por isso, nesse artigo vamos falar sobre o que é o link dedicado e quais são as diferenças entre ele e a internet banda larga. Vamos lá?

 

Link dedicado x internet banda larga

O link dedicado é um serviço oferecido por operadoras de telefonia, data centers e provedores. A principal diferença entre ele e a internet banda larga comum é na velocidade de conexão: a do link dedicado é muito maior do que as velocidades oferecidas pelos planos de internet banda larga. Além disso, o serviço de link dedicado possui muito mais estabilidade do que a banda larga comum e entrega a velocidade estabelecida em contrato.

 

Por outro lado, quem tem banda larga em casa sabe que raramente se consegue a velocidade de internet prometida pela operadora, tanto para fazer downloads quanto uploads. Como se trata de um ponto da empresa de telecomunicações que é distribuído para vários usuários, o sinal tente a sofrer mais oscilações, especialmente quando muitas pessoas estão conectadas ao mesmo tempo. Por isso, é muito comum ver as reclamações dos usuários a cerca dos serviços de banda larga oferecidos pelas operadoras, que não conseguem entregar a velocidade estabelecida em contrato em sua totalidade, gerando frustração em muitos clientes.

 

Já quem opta pelo serviço de link dedicado não sofre com esse problema, pois, esse tipo de conexão conta com dois canais exclusivos para a sua conexão, sem divisão com outros usuários, o que garante a estabilidade do sinal.

 

Os IPs também funcionam de maneira diferente nos dois serviços: Em um link dedicado, você recebe uma quantidade específica de IPs que serão exclusivos da sua empresa, o que permite a criação de servidores internos e serviços de criptografia. Enquanto isso, na banda larga comum, o IP é dinâmico, pois, conforme os usuários vão se conectando, os IP’s gerados vão se alocando nos servidores da operadora, o que torna o serviço mais barato e eficiente. Porém, isso impede a criação de um servidor. Um cliente banda larga pode até conseguir um IP fixo para usar o computador pessoal como servidor, mas esse é um serviço que custa mais caro.

 

Vantagens e desvantagens

Como já foi mencionado, a velocidade e a estabilidade do serviço de link dedicado são muito superiores às da banda larga comum. Outra vantagem do link dedicado é que, diferentemente da banda larga, a velocidade da conexão não varia de acordo com o número de usuários conectados. Além disso, o link dedicado permite a criação de servidores internos e serviços específicos de criptografia.

 

Por outro lado, o serviço de link dedicado tem um custo mais elevado que o da banda larga comum e a sua  instalação é mais demorada, além de ele exigir uma manutenção mais complicada. Além disso, os contratos para a aquisição de um link dedicado costumam ser bem mais longos que os de banda larga. Justamente por isso, ele só é disponibilizado para pessoas jurídicas.

 

Conseguiu entender as diferenças entre link dedicado e internet banda larga? Ficou alguma dúvida sobre o assunto? Escreva para a gente nos comentários!

Via:ilig

Compartilhar
02 out 2017

O que é Fibra Ótica e como funciona?

Com a explosiva evolução das comunicação, motivadas pela necessidade de aumento de capacidade de tráfego de voz, vídeo e dados de alta velocidade, constantemente nos deparamos com novos conceitos em tecnologias em termo de meios de transporte das informações. É nessa ideia que surge a fibra ótica, que garante nível elevado de fiabilidade a nível de transmissão de sinais e dados, voz e vídeo.

Como foi inventada e como funciona a fibra ótica?

Cabos de fibra óptica estão substituindo fios de cobre para aumentar a velocidade de transmissão de informação digital. Estes cabos são feixes de “fios de vidro” extremamente puros que foram revestidas em duas camadas de plástico reflexivo. Uma fonte de luz é ligada e desligada rapidamente a uma extremidade do cabo de transmissão de dados digitais. A luz viaja através dos fios de vidro e de forma contínua reflete fora do interior dos revestimentos plásticos espelhados em um processo conhecido como reflexão total interna. Sistemas baseados em fibra óptica pode transmitir bilhões de bits de dados por segundo, e eles podem até mesmo levar vários sinais ao longo da mesma fibra usando lasers de cores diferentes. Esses cabos são tão finos quanto um fio de cabelo humano que carregam a informação digital ao longo de grandes distâncias.

A transmissão da luz pela fibra segue um princípio único, independentemente do material usado ou da aplicação: é lançado um feixe de luz numa extremidade da fibra e, pelas características óticas do meio (fibra), esse feixe percorre a fibra por meio de reflexões sucessivas. A fibra possui no mínimo duas camadas: o núcleo (filamento de vidro) e o revestimento (material eletricamente isolante).

Compartilhar

Hcneti- Soluções e tecnologia - Todos os direitos reservados  

Voltar ao topo